Volta às aulas! Veja como economizar na compra de livros

4 minutos para ler

O início do ano é tempo de férias da criançada, mas também é a época em que os pais estão de olho na volta às aulas. Por isso, já começam a percorrer as lojas de materiais escolares em busca de preços mais amigáveis para adquirir os itens das longas listas elaboradas pelas escolas.

A antecipação dessa compra é interessante para tentar driblar os valores mais altos e as filas intermináveis nas papelarias e livrarias, tão comuns logo que as aulas recomeçam.

No entanto, antes de comprar qualquer coisa, é importante atentar para as exigências que podem conter alguns abusos. Para ajudar nessa tarefa, selecionamos algumas sugestões para facilitar a sua jornada de início de ano letivo. Confira!

Planeje o orçamento

A antecipação das compras pode ser uma boa medida para evitar o acúmulo de despesas. No começo do ano as contas da escola se acumulam com matrícula, uniforme, materiais, transporte etc. Além disso, a família precisa arcar com uma maratona de despesas que chegam ao mesmo tempo, como IPTU, IPVA, seguros e outros impostos.

Por isso, um bom planejamento no orçamento é o remédio para contornar tudo isso sem provocar problemas financeiros difíceis de remediar. Assim, o material escolar e os livros didáticos podem ser adquiridos dentro de um patamar razoável de gastos familiares.

Pesquise bastante

As opções de lojas e de marcas são incontáveis. Então, o ideal é sair pesquisando em diversos locais diferentes para comparar os preços. Os valores dos mesmos itens podem variar muito entre um estabelecimento e outro.

Os livros didáticos podem ser comprados diretamente da editora ou em sebos que, normalmente, oferecem alternativas bem amigáveis e que cabem no seu bolso.

Avalie o que a escola está pedindo

As listas de materiais elaboradas pelas instituições de ensino, muitas vezes, incluem produtos de uso coletivo, como os de limpeza, de higiene, talheres e copos descartáveis. Isso não é permitido, da mesma forma que é vedada a indicação de uma marca específica.

A aquisição de material na própria escola também é proibida, uma vez que caracteriza venda casada. Por isso, é preciso analisar o que a escola pede e, se tiver algo incomum, é possível denunciar ao Procon.

Outra providência contra possíveis abusos é organizar uma ação conjunta entre os pais dos alunos a fim de questionar, de forma coletiva, o conteúdo da lista. Esse tipo de atitude é interessante e útil para promover proteção mútua entre os consumidores em prol de uma causa comum.

Troque livros

Se tiver em casa livros didáticos antigos que ainda podem ser aproveitados, você pode trocar com vizinhos ou conhecidos. Assim, os itens continuam cumprindo o seu papel sem a necessidade de mais gastos, principalmente quando se trata de livros paradidáticos — de leitura obrigatória.

Os produtos que não servem mais para doação nem reutilização podem ser disponibilizados para reciclagem nos pontos de coleta seletiva.

Compre on-line

A possibilidade de adquirir livros pela internet encurtou os caminhos dos leitores, que agora têm a oportunidade de verificar catálogos extensos em inúmeras lojas on-line. Os preços são mais atrativos e a comodidade é muito maior.

Além da leitura didática, é muito importante incentivar o hábito por outros tipos de livros, como literatura de ficção, HQs, biografias e outras publicações físicas ou virtuais. O importante é estimular o gosto por um hábito tão enriquecedor, que contribui com a formação de espíritos mais críticos, autônomos e criativos, além de habilidades linguísticas e de memória.

Muitos pais não sabem como promover esse estímulo em meio a tantas distrações tecnológicas que tomaram conta dos lares nos últimos anos. O exemplo vindo dos próprios pais costuma ser a porta de entrada, além do incentivo à leitura baseada nos interesses da criança.

Assim, ler se transforma em uma atividade lúdica na qual a criança pode buscar mais informações sobre coisas que são do seu interesse. Com isso, a volta às aulas pode se transformar em uma das atividades preferidas do seu filho.

E você, o que tem feito para driblar os altos preços de livros nos últimos anos? Deixe seu comentário e partilhe suas experiências, elas podem ser úteis para mais gente!

Você também pode gostar

Deixe um comentário